domingo, 2 de outubro de 2011

VOCÊ QUER: Adorar... Pelo pão, pelo vinho ou por amor?

“A adoração consiste nos atos e atitudes que reverenciam e honram a majestade do grande Deus do céu e da terra”. Sendo assim, a adoração concentra-se em Deus, e não no ser humano.
No culto cristão, nós nos acercamos de Deus em gratidão por aquilo que Ele tem feito por nós em Cristo e através do Espírito Santo. “A adoração requer o exercício da fé e o reconhecimento de que Ele é nosso Deus e Senhor.”
(Bíblia de Estudo Pentecostal – A adoração a Deus – Pg. 740)
Há algum tempo tenho sentido algo mais profundo vindo de Deus através, do Espírito Santo, sobre a adoração. Após uma ministração onde Deus falou através do Pr. Cirilo a respeito desse assunto, fui profundamente tocado, é como se uma ferida fosse aberta em minha alma, ele disse: “Não adoremos pelo pão, mas sim por amor, simplesmente para expressar o nosso amor por Ele.”
Podemos notar nas escrituras que aquelas pessoas que mais tocaram o coração do Pai foram aquelas pessoas que se doavam, que quebravam os costumes, que foram extravagantes. Não fizeram isso em troca de pão ou vinho, mas adoravam porque amavam a Deus, porque eram apaixonados por Ele, e não por interesse. Desde Gênesis 4.3 a Apocalipse 22.8 podemos notar várias passagens onde a adoração é enfatizada com espontaneidade, temor e amor, mas também podemos ver pessoas que adoravam por interesse, esse é o caso da peregrinação relatada no livro de Êxodo, onde notamos que, quando Israel foi libertado houve júbilo por parte do povo, mas quando se depararam com o Mar Vermelho impedindo a caminhada, murmuraram (Ex. 14. 11-12), quando atravessaram o mar adoraram ao Senhor mas quando Moisés estava no monte recebendo os mandamentos da parte de Deus, o povo vendo a demora novamente murmuraram e adoraram outro deus feito por eles (Ex. 32.1-10). Quando faltava água logo lembravam do “Egito” e murmuravam, quando queriam carne murmuravam, até quando a promessa estava a alguns metros eles murmuraram.
Já, indo um pouco a diante podemos ver Davi, um adorador que tocou o coração de Deus com a sua espontaneidade, alguém que não se importava com as críticas, quando errava ia ao pó e se arrependia verdadeiramente, uma pessoa que não adorava pelo pão nem pelo vinho, alguém que não se importava com o retorno vindo da parte de Deus, mas apenas queria saber como Deus estava, se ia tudo bem com Ele, um apaixonado por Deus e não pelos seus “presentes”. Mas não ficamos por aqui, temos também exemplos maravilhosos sobre a adoração no novo testamento. Comecemos pela visita dos reis magos e a adoração prestada por eles, João Batista, Maria que lavou os pés de Jesus com as próprias lágrimas, o ungiu com o tudo que possuía e enxugou com os próprios cabelos, abriu mão de sua glória para adorar ao seu mestre. Também temos o próprio Jesus que, “mesmo sendo Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo,...”, temos também os apóstolos que, cheios do Espírito Santo rompiam com o mundo para se aliançarem com o Supremo de toda a criação, Paulo que deixou umas das mais belas mensagens em sua epístola aos coríntios falando sobre o amor em I Co 13, temos João, Pedro, entre muitos outros, mas o que me chamou mais a atenção são aquelas passagens em Apocalipse falando sobre a mais perfeita adoração (4.8-11 e 5.8-14) dada a Deus pelos seus anjos, anciãos e seres viventes, os quais não esperam nada em troca mas adoram porque amam ao adorado, passando a eternidade inteira fazendo apenas uma coisa, adorando.
A adoração não é simplesmente chegar em um culto e levantar as mão e cantar algumas canções, ou subir no altar e ministrar, a adoração envolve uma vida de intimidade e comunhão com o Deus Eterno, é se consagrar, é um estilo de vida, é uma opção que fazemos entre ir a igreja e ser a igreja, entre cantar e adorar, entre ser um simpatizante e ser um apaixonado por Deus. A adorar é algo supremo, é uma chama que nos consome, ou pelo menos deveria consumir, um amor que te faz delirar, é se dar, ser extravagante e apaixonado, é amar desesperadamente, é dar sem esperar retorno, resumindo em uma única palavra, é ser apaixonado pelo Adorado.
Meus irmãos, adorar por interesse é como abrir um sepulcro caiado, “fede”, é como tentar parar o vento ficando em sua trajetória, ou até mesmo, para extrapolar um pouco, acreditar em “papai Noel”, é inútil.
Muitas vezes nos entregamos às pessoas por amá-las, mas será que é difícil se entregar por amor à alguém que te conhece, que sabe tudo sobre você, ou melhor, que está dentro de você.
Adorar em busca de arrepios, visões, cura, libertação, dons, unção é estar interessado nos “presentes” de Deus e não no seu coração. Por isso deixo uma pequena mensagem e uma simples oração que gostaria que você repetisse comigo:
“Adorar é amar de toda a alma e ser um louco e apaixonado por Deus!!!”
Pai faça queimar em nossos corações a paixão por Ti, algo que nos faça cair enfermos de tanta paixão por Ti, em nome de Jesus.
Que Deus abençoe a vocês com a graça de sermos apaixonados por Ele e não por seus “presentes”.
Um abraço pentecostal para todos vocês que são importantíssimos para mim. Peço que deixem o amor de Deus queimar em seus corações.

Hélio Júnior, um adorador sem face da Igreja Batista Central do Barreiro em Belo Horizonte – Minas Gerais.
jesusguibor@yahoo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Depois de escrever seu comentário, o autor do blog verificará a aprovação. Seja avisado que, somente no caso de qualquer palavra ofensiva encontrada na sua juicio, sua opinião não será publicada. Obrigado por deixar o seu comentário.